sábado, 27 de janeiro de 2007

Babel

Nossas vidas estão todas interligadas e o que se faz aqui pode afetar alguém do outro lado do planeta. A comunicação entre as pessoas é essencial. C-O-M-U-N-I-C-A-Ç-Ã-O.

Essa é a mensagem de Babel. Puta filme.
As várias histórias interligadas são simples, mas a mensagem que fica é complexa.

Alejandro González Iñárritu já havia mostrado seu talento em "21 gramas". A fórmula de Babel é a mesma - várias histórias aparentemente desconexas e contadas aleatoriamente - com ingredientes diferentes. Alguns acham que é falta de criatividade do diretor. Os críticos detonaram, claro.

Mas as críticas dos críticos devem ser lidas assim: se eles elogiarem, duvide; se eles falarem mal, vá ao cinema.


????????
O que será que eu já causei nestes 20 e poucos - poucos? - anos?

2 comentários:

Livia disse...

Vou ser sincera. O filme é mto chato, não curti, msmo esquema de Crash, porém sem um enredo brilhante.

Elenco hollywoodiano e amador PERFEITO!

Mas....oq seria do pink se só existisse o rosa claro!?rsrsrs

Bjussss

Igor Cruz - SUBUrbano e fudido. disse...

Já ouvi falar bem e já ouvi falar mal. Vou ao cinema! Esse lance de crítica de arte é bem legal, podemos conversar sobre isso depois. Escrevi uma crítica sobre o documentário "Coisa mais linda", tá lá no blog, só não me lembro em que mês.