quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Ah, eu já sabia

Por conta do repouso forçado, nesses últimos dias assisti muita televisão aqui em Recife. Fiquei impressionada com as pautas dos jornais locais: homicídios, assaltos e similares.
Aí ontem, por coincidência, divulgaram um estudo feito pela Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI) que, baseado em índices de homicídios, classificou quais são as cidades mais violentas do Brasil. E o resultado divulgado comprova o que eu estava pensando: a violência não é exclusividade de SP e Rio (Pernambuco foi considerado o estado mais violento do Brasil).

Há alguns meses eu tive a oportunidade de acompanhar a edição do Jornal Hoje (Globo) desde a reunião de pauta, teleconferência com todos os estados, seleção de notícias etc. E o que pude perceber - e não é novidade o que vou escrever aqui - é que notícia é aquilo que acontece na parte de baixo do país - leia-se SP, Rio, BH e, de vez em quando, Porto Alegre. O que acontece nos Estados "de cima" não interessa para o jornal.

Para quem vive à margem dessas grandes capitais, o resultado desse estudo não é uma grande novidade. A violência no interior do país, além de outros fatores, também é fruto do descaso. Descaso do governo, descaso dos estados mais desenvolvidos e, claro, descaso da mídia.

Um comentário:

Rê Ruffato disse...

sabe o que eu percebo? é que notícia boa é notícia ruim. Infelizmente.
bj