sábado, 3 de fevereiro de 2007

Dãaaa

Sabe aquele ditado que diz que "de médico e louco, todo mundo tem um pouco"?

Então, assim como existem bons e maus profissionais na medicina, existem os loucos "do bem" e os "do mal". Ui!

Os do bem, geralmente, são engraçados, divertidos, desencanados, não fazem mal a ninguém. Às vezes até aprendemos com eles uma maneira mais leve de levar a vida.

Os do mal... ah... esses incomodam. Pois, normalmente, eles têm a mente perturbada, têm mania de perseguição - ou perseguem ou acham que estão sendo sempre perseguidos -, são raivosos. E se a inveja também faz parte da personalidade desse tipo de louco... aí fudeu.

É preciso um pouco de sensibilidade para perceber esse tipo de gente. Porque os loucos - tanto os "do bem" quanto os "do mal" - são capazes de criar um mundo fantasioso tão perfeito, que quem convive não percebe que é tudo uma farsa. Na verdade, acho que eles acreditam tanto nas mentiras que a mente deles cria, que elas se transformam em (sic!) realidades verdadeiras. Só que a verdade é única e, quando ela vem à tona, dói. Afinal, não conheço ninguém que goste de mentira. Nem os loucos.

Enfim...

De qualquer forma, continuo achando que, de perto, ninguém é normal.

E, no fundo, eu até gostaria de enlouquecer um pouquinho mais...

Um comentário:

Igor Cruz - SUBUrbano e fudido. disse...

Ah vá! É legal ser louco... porém sem deixar de viver a verdadeira realidade (sic) com um certo romantismo...