terça-feira, 6 de março de 2007

Ainda sobre o carnaval


O carnaval, na minha modesta opinião, é muito mais do que mulheres bonitas e seminuas; é mais do que milhares de pessoas seguindo um trio elétrico ou desfilando numa escola de samba; vai além de mais um feriadão em casa, descansando ou viajando.
O carnaval é uma das manifestações populares mais ricas do planeta - rica no sentido de cultura, e não do dinheiro gasto nas festas.

Na Bahia tem a exaltação da cultura afro; no Rio e em SP têm os sambas-enredo baseados em fatos históricos ou temas atuais; em Recife, o frevo - que nasceu a partir da capoeira e comemora 100 anos; sem mencionar os carnavais dos interiores do Brasil que não são televisionados.

E, apesar de ter origem européia, atualmente o Carnaval faz parte de uma cultura genuinamente brasileira. Em nenhum outro país há uma festa tão grandiosa como essa. O Galo da Madrugada, por exemplo, é o maior bloco de rua do mundo e atrai mais de um milhão e meio de pessoas todos os anos para as ruas do Recife. Salvador também leva milhões de foliões às ruas todos os anos. Cada escola de samba é composta por cerca de 5 mil pessoas.
E todos, à sua maneira, estão exaltando a cultura brasileira.

Há alguns dias conheci um grego na praia de Boa Viagem e perguntei a ele qual é a imagem do Brasil na Grécia. Ele disse que a visão dos gregos é a de que somos um povo feliz; que temos muitos problemas sociais, mas que ainda assim somos alegres e otimistas. Os gregos imaginam que aqui o clima é de festa o ano inteiro.

O ano inteiro não. A gente também trabalha, luta e batalha bastante; somos vítimas da violência e da corrupção; ralamos muito para manter a quarta maior cidade do mundo funcionando; somos explorados, sofremos e ficamos indignados diante de tantas injustiças. Mas, durante o Carnaval, somos exatamente do jeito que eles imaginam. Afinal, diante da guerra que o mundo está vivendo, essa trégua carnavalesca é mais do que merecida.
[na foto, um Boneco de Olinda]

Um comentário:

Igor Cruz - SUBUrbano e fudido. disse...

Dessa vez eu te romântica demais... rs - eu seria mais crítico, mas sem perder o clima festeiro, afinal, quem é que não gosta de festa... hehehe - feliz dia (todos os dias) das mulheres!!