quinta-feira, 14 de junho de 2007

Na verdade, o gerúndio já era

A moda está presente em todas as situações da vida. Inclusive na linguagem. Vira e mexe aparecem um modismos lingüísticos, como aconteceu com o uso excessivo e desregrado do gerúndio.

Mas faz algum tempo que um vício de linguagem tem me incomodado mais que o "ando", "endo", "indo": é a expressão "na verdade". Repare como os neo intelectuais ligam uma frase à outra dizendo "na verdade, blá blá blá". Putz! Isso é muito chato. Será que a frase anterior era mentira e bateu um arrependimento instantâneo que o impulsionou a corrigir a informação?

Outro dia, num programa de rádio, ouvi uma entrevista com um jornalista/escritor/ator/comediante. A cada dez frases proferidas, oito começavam com "na verdade... "
O cara pareceu ser um bom profissional, inteligente, engraçado. Mas, na verdade, de toda a entrevista eu só assimilei a expressão "na verdade..."

3 comentários:

Igor Cruz - SUBurbano e fudido. disse...

Na verdade, o gerundismo caiu na boca do telemarketing e por ali morreu... que bom! Mas ainda tem muita gente falando. Mas, na verdade, eu descobri que falo isso também... "na verdade"!! estou em tratamento intenso contra o mal que me assola!

james disse...

Bem observado.

Outras que parecem estar na moda são: "precário" e "gratificante".

Um abraço.

Ana Paula Fonseca disse...

olha Kérrol, na verdade....

adoro passar por de zem em quando...

adoro esses textos.

um bj.
"de fato" adoro, rs.