sábado, 20 de outubro de 2007

Maioridade

Hoje faz dezoito anos que meu pai morreu...

Raramente eu lembro dessa data, mas esse ano, não sei por que, lembrei. Só depois de adulta me dei conta de como uma referência masculina em casa faz falta. Não, nunca me faltou nada: nem amor, nem carinho, atenção... minha mãe sempre supriu tudo. Mas a figura paterna é muito importante. Por isso, hoje, fico assustada quando vejo esse monte de criança crescendo sem pai. Os adultos são meio egoístas nesse sentido quando só levam em consideração o bem-estar próprio. Aqui em casa foi diferente: cresci sem pai não por opção deles, mas por uma fatalidade. E com a maturidade que o tempo me trouxe, posso afirmar que faz falta. Exatamente por isso, tô fora de produção independente.

4 comentários:

Rê Ruffato disse...

Bacana vc ter essa visão. Faz falta sim. É imprescindível. Mas não precisa ser o pai, necessariamente. Outros homens devem ser referência pra gente, sempre. E pela vida afora, né?
Sou fã deles, deu pra perceber?
beijos, Carol.

Jornalista Azarado disse...

Tanto pai como mãe são insubstituiveis. Cada um tem seu papel no âmbito familiar. Mesmo que uma mãe supra grande parte da ausência de um pai, ou vice-versa, sempre falta algo. Esse contato é muito importante e imagino as dificuldades q vc passou. Vc está de parabéns pelo q vc conseguiu. Independente do que aconteceu, o q vc é hoje mostra q vc conseguiu superar as dificuldades e momentos de fraqueza.

Livia disse...

Vai fazer 2 anos q meu pai morreu...ele foi TUDO na minha vida, Xuxu.

Parabéns primeiramente para sua mãe...uma mulher maravilhosa, já que nunca deixou faltar nada.

Mas uma figura masculina/paterna em casa, faz mta falta... ó se faz.

Seu pai tá cuidado de vc direitinho

=)

Kenys disse...

Carol, eu concordo com vc por um simples motivo: meus pais são divorciados e eu convivo com a distância do meu pai há um bom tempo. Como ele faz falta em minha vida. Essa figura masculina que nos protege, nos enche de mimos, simplesmente porque somos suas filhas, mulheres, delicadas e que necessitam disso. Fato que não se supre com namorado ou marido ou amante.
Talves por isso eu escolha o tempo todo a pessoa certa já pensando nos meus filhos.
Beijos