quinta-feira, 10 de abril de 2008

Caso Isabella

Desde segunda-feira, estou cobrindo o caso Isabella para o Terra (www.terra.com.br). É a primeira vez que trabalho com hard news e já pego uma história como essa. Não é fácil, mas tenho aprendido bastante.
Acontecimentos como esse só corroboram a minha tese de que a imprensa ainda não aprendeu a cobrir casos de grande repercussão. Não dá para exigir respostas imediatas de uma investigação complexa e que envolve a vida - e o futuro - de várias pessoas.
Houve um crime bárbaro, é fato. Mas se não há confissão ou flagrante, não dá para antecipar o desfecho da investigação.
A palavra de ordem, agora, deveria ser sensatez.

3 comentários:

Dante Accioly disse...

Concordo com você. Acho que o ritmo da imprensa é um, e o da polícia é outro beeeeeem diferente (e, muitas vezes, beeeeeem mais responsável). Vou acompanhar a cobertura do Terra. Beijo.

Carol Rocha disse...

Oi Dante,
acompanhe a cobertura pelo Terra sim. O conteúdo eu garanto. A qualidade do texto não. rs

Paulo disse...

Disse tudo agora: sensatez.
A pressão da opinião pública não raro faz com que a polícia "produza" um culpado. O que acaba levando a um segundo crime.