domingo, 20 de abril de 2008

Imprensa X curiosos

Este cartaz foi colado hoje no portão da garagem da família Jatobá, em Guarulhos, na grande SP. Gostei da manifestação e isso me fez repensar sobre a cobertura da imprensa no caso Isabella.
Lembram da propaganda da Tostines que perguntava: vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais? Tenho a mesma dúvida hoje: foi a imprensa que hiperdimensionou, por vontade própria, a cobertura deste caso ou foi o público que cobrou isso - cobertura incessante - de nós?



Sobre o circo montado na sexta-feira para o interrogatório do casal Nardoni, hoje vejo que foi necessário. Cerca de 200 pessoas se reuniram na porta da delegacia para esperar Alexandre e Anna Carolina, e boa parte permaneceu por lá até a saída deles, por volta de 4h40. A estratégia de acomodar a imprensa e separar o público dos jornalistas foi fundamental para o nosso trabalho. Confesso que por diversas vezes senti medo de que houvesse reações mais exacerbadas por parte dos curiosos. As cadeiras, água e banheiros colocados no local também foram essenciais. Eu, por exemplo, cheguei no 9º DP às 15h00 e só fui embora 5h15. Sem essa estrutura montada pela Secretaria de Segurança Pública de SP teria sido bem mais difícil aguentar.

6 comentários:

Multifuncional disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ricardo Soares disse...

carol... está sendo muito curioso e ilustrativo acompanhar o making-of dessa cobertura pelo seu blog... me lembra exatamente de 23anos atrás quando eu e um enorme grupo de repórteres ( muitos jovens como vc) amargavamos a lenta agonia de Tancredo Neves na porta do INcor... sei bem o que vc está passando a acho que como vc já disse aqui deveria reunir tudo num relato só depois que essa tragédia for esclarecida... bj e força porque uma cobertura como eessa desmonta a gente

james emanuel disse...

Não são curiosos, mas, para gosto da “mídia”, continuam viciados em “reality show”.

Estou adorando...


Beijo.

Carol Rocha disse...

Gente, o fato é trágico, mas no fundo eu tenho me divertido.

Paulo disse...

É uma questão difícil, mas acho que no placar final, a curiosidade do povo é maior. Acho que eles acabam forçando essa cobertura incessante. Aliás, complementando o comentário do James, essa sede do povo é a base de construção de todo reality show.

Beijos e apoio a idéia de um livro sobre os bastidores disso tudo!

Carol Rocha disse...

Paulo, estou estudando a idéia de fazer meu TCC sobre isso. Preciso decidir até quinta agora. rs

beijo!