segunda-feira, 5 de maio de 2008

Marcha da Maconha

Hoje tive de ir ao Ibirapuera cobrir a tal Marcha da Maconha. Até aí, tudo bem. Mas quando cheguei lá, me deparei com uma centena de adolescentes gritando maconha e argumentando, entre outras coisas, que a liberalização garantiria aos usuários a boa procedência do produto.

Eu sou super a favor da discussão sobre a legalização ou sobre a descriminalização da droga - apesar de ser assumidamente careta. Mas acho que esse debate tem de ser feito por pessoas maduras e com argumentos válidos. Os adolescentes que encontrei hoje não têm a mínima idéia do que seja isso. Estavam lá para bagunçar e atrapalhar uma discussão que é séria e que envolve muito mais do que um simples baseado.

4 comentários:

Anônimo disse...

Estive por lá e infelizmente não me identifiquei com o que a marcha se propuzera a fazer.
Não sou propriamente dito careta e esperava encontrar por lá um dialogo muito mais interessante do que encontrei, me retirei da marcha por volta das 15 horas justamente por não concordar com alguns gritos de ordem dado pelos participantes.
Acredito e reafirmo que a maconha não deve ser tratada como droga, tão pouco modismo de uma nova geração, devendo sim haver um debate sobre o tema com pessoas MADURAS. Grato

Carol Rocha disse...

Olá anônimo.
Eu acho que o debate é muito importante, sim, e deve acontecer logo. Mas de uma forma séria, por pessoas sérias.
Fico feliz que vc não tenha contribuído com aquela pseudo-manifestação.

Um abraço, Carol.

Paulo disse...

Hoje pensei algo parecido vendo um bando de jovens fazendo um protesto contra a China. Percebe-se de longe que a motivação é a rebeldia pela rebeldia, muitas vezes sem a menor noção do conteúdo do protesto. Estou ficando velho ou esse meu desprezo pelos jovens que querem mudar o mundo sem ter um pingo de conteúdo é realmente válido?

Beijo!

Carol Rocha disse...

Paulo - eu acho válido. Apóio incondicionalmente a manifestação das pessoas, desde que haja critério, embasamento e maturidade. beijo!