quinta-feira, 31 de julho de 2008

Holerith

O Silvio Santos anunciou que pretende diminuir o salário da Hebe - ela ganha R$ 1 milhão de salário mais R$ 500 mil em merchã.
Hebe retrucou: "diminuir o salário é falta de respeito!"
Bom, concordo com a Hebe. Ganhar menos de R$ 1,5 milhão para trabalhar uma vez por semana é sacanagem mesmo.

domingo, 27 de julho de 2008

O furo furado

A matéria que Veja traz essa semana sobre a Operação Satiagraha tem um parágrafo que me chamou a atenção - e que não tem muito a ver com a operação em si, mas com a postura da imprensa.

No final do último parágrafo, lê-se: "No texto do delegado não constam mais as acusações feitas a jornalistas. A exceção fica por conta da repórter Andréa Michael, do jornal Folha de S.Paulo. Protógenes mantém contra a ela a acusação de, ao publicar uma reportagem em abril dando detalhes da Operação Satiagraha, ter alertado Dantas e seus comparsas, dando-lhes a chance de fugir ou destruir provas. O delegado continua sem entender que a função dos jornalistas é justamente apurar e publicar notícias, mesmo aquelas protegidas por sigilo oficial. A dele é a de investigar e fazer relatórios consistentes."

Eu sempre tive uma opinião muito crítica com relação aos "furos" da imprensa. Concordo que nossa obrigação é investigar o Poder Público e informar à população o que anda acontecendo nos bastidores da política. Mas discordo que o jornalista deva atrapalhar uma investigação séria em nome do furo, da notícia exclusiva.

Acho que a imprensa deve ter mais critério ao lidar com informações confidenciais. Será que tudo deve ser noticiado imediatamente? Ou será melhor esperar o desfecho de determinada situação para, aí sim, contar o fato?

No caso específico dessa operação, não havia motivo para soltar a reportagem antes das conclusões da Polícia Federal. O que a população ganhou com a informação antecipada? Nada. E os investigados, o que eles ganharam? Ainda não se sabe... A repórter, provavelmente, vai ganhar um processo. E, acho, à toa e sem mérito.

A informação é algo precioso. Vale muito. E vale para o bem e para o mal. Cabe a nós, jornalistas, discernir sobre a forma e o momento certos de publicar.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Microblog

Estou aderindo ao Twitter, um microblog divertido e interessante. Conte o que você está fazendo agora em apenas 140 toques.

www.twitter.com/carolinarocha

Conta lá.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Contra as algemas

O Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, soltou o Dantas e os coleguinhas dele. Depois, soltou os suspeitos de fazer parte de uma quadrilha que falsificava carteira de habilitação.
Hoje, ele pediu informações sobre o casal Nardoni. Se depois de passar por ele o habeas corpus para o casal não for deferido...

sábado, 5 de julho de 2008

Código de barras

Vivemos em uma época onde tudo é fabricado em série:
os carros;
os eletrônicos e eletrodomésticos;
as roupas;
as notícias;
algumas pessoas...

Tudo segue uma seqüência, nem sempre lógica. E tudo vira mercadoria; produto; algo consumível.

E assim, pasteurizamos a vida. Que triste.

_________________________________

Um psicanalista inglês alerta que a "geração facebook" (ou geração Orkut, no Brasil) corre o risco de perder a identidade. "É um mundo onde tudo se move depressa e muda o tempo todo, onde as relações são rapidamente descartadas pelo clique do mouse, onde se pode deletar o perfil que você não gosta e trocá-lo por uma identidade mais aceitável no piscar dos olhos", disse Himanshu Tyagi.

O psicanalista acha que o anonimato e a falta de experiência sensorial das conversas realizadas no mundo virtual poderia mudar a percepção de interatividade e criar uma visão alterada sobre a natureza dos relacionamentos.

"A nova geração, que cresceu em paralelo ao avanço da internet, está atribuindo um valor completamente diferente para as relações e amizades, algo que estamos fracassando em observar", afirma Tyagi.

Outros especialistas discordam e dizem que Tyagi exagerou no raciocínio.

Honestamente, eu só posso dizer que o mundo virtual ainda me assusta.


[a íntegra da matéria pode ser lida na BBC ou em qualquer site que repercuta as notícias da tv britânica]