domingo, 24 de agosto de 2008

Hiprocrisia dourada

O teatro chinês será desmontado. Agora, só daqui a quatro anos. Ficamos em 23º lugar. Para um País que não investe no esporte, acho um puta resultado. E foi a Olimpíada das mulheres: Maurren Maggi, depois de ser suspensa por doping e ter a carreira ameaçada, deu a volta por cima e provou que quando há paixão e determinação, tudo é possível. Meninas do vôlei, do taekwondo, do judô...

Os bronzes e as pratas conquistadas pelos atletas brasileiros, valem ouro.

Copio aqui o comentário que deixei no blog de um amigo e que me fez refletir sobre a hipocrisia que reina em todos os setores desta nação.

O País não investe nada no esporte e, em época de grandes competições mundiais, o presidente + ministro do esporte + assessores e puxa-sacos, aparecem elogiando os atletas e o povão, por sua vez, aparece para cobrar medalhas. Ah, fala sério! Um atleta brasileiro, que treina no Brasil, e que consegue bronze numa Olimpíada, é mártir. Certa estava a ginasta Jade quando disse que um 7º lugar, para ela, estava ótimo. Sétima melhor ginasta do mundo, sem incentivo, só por paixão ao esporte mesmo.

E reproduzo, ipsis literis, um trecho de um post do Bob Fernandes (editor do Terra Magazine) em seu blog. A minha resposta à pergunta feita por ele é NÃO.

Na memória os gigantescos e os pequenos feitos, os acertos, as históricas voltas por cima e os erros dos brasileiros. Quinze medalhas, 3 de ouro, 4 de prata, 8 de bronze. Ganharam pouco e perderam muito, mas jogaram o jogo, com a força, o talento e as condições que têm.
Ótimo que a fieira de grandes derrotas imponha o debate, aberto, sem conclusões precipitadas: o Brasil precisa mesmo perseguir o objetivo de se tornar potência olímpica, precisa mesmo de uma olimpíada regada a dezenas de bilhões de dólares de dinheiro público, ou precisa que todos possam ter a chance de acesso a escolas dignas do nome e à prática massiva de esportes?

3 comentários:

Ricardo Soares disse...

concordo total com o que vc disse sobre as Olímpiadas... até que fomos longe demais dada as condições...e tem recado, aliás post, no meu blog falando de vc
bj

André Brandt disse...

Concordo Carol.

De 204 países ficamos em 23º. E olha que perdemos medalhas que todo mundo já dava como garantida. Futebol masculino, feminino, vôlei masculino e Diego Hypolito na ginástica.

Dos sulamericanos, somos os melhores. Já é alguma coisa para um país que só investe em futebol.

james emanuel disse...

Concordo com quase tudo, mas acho que os investimentod para a realização do Pan do Rio não foram pequenos (no mínimo justiça).

Um abraço.