sábado, 2 de agosto de 2008

Tréplica

O melhor do debate entre os candidatos à prefeitura de São Paulo, realizado na Band na última quinta-feira, foi o buffet. O cafezinho no final estava meio morno, mas os petit fours estavam ótimos. Também fiquei feliz em reencontrar alguns coleguinhas. O clima dessas coberturas são bem bacanas. Dá pra colocar o papo em dia e saber das fofocas dos bastidores. Ah! Marta Suplicy prendendo o salto do sapato em um buraco, na frente do repórter do CQC, também foi uma cena impagável.

Brincadeiras à parte, selecionei o que achei mais interessante no discurso dos candidatos.
Alckmin dizendo que leva uma vida franciscana; Maluf dizendo que foi o melhor prefeito de São Paulo; Marta afirmando que a ponte estaiada (leia-se cenário do SPTV) foi uma obra útil; e Ciro Moura afirmando que, se for eleito, as creches abrirão às 3h para atender às mães que pegam cedo no batente.

Ora, ora, ora...

Eu queria uma vida franciscana como a do Alckmin. Queria que a justiça, finalmente, achasse alguma irregularidade na vida financeira do Maluf (não é possível que ele roube tão bem). Queria que a ponte estaiada atravessasse para o Morumbi (aí sim, talvez, teria alguma utilidade) ou que o dinheiro investido na obra tivesse sido aplicado em algo mais útil. E sobre as creches do Moura, sugiro que as crianças morem lá de uma vez. Afinal, nenhuma criança merece acordar às 3h.

Para mim, esses debates não valem nada. Todo mundo sabe que os discursos são utópicos. Não há realismo em nenhuma promessa.
Eu votaria num candidato que assumisse que a verba é pouca e os problemas são muitos. Se alguém tivesse coragem de assumir, em cadeia nacional, que não vai conseguir resolver muita coisa em quatro anos, teria meu voto. Só pela sinceridade.

2 comentários:

james emanuel disse...

Muito interessante.

Beijo.

Daniela Peregrino disse...

Teria o meu tb.