sábado, 22 de novembro de 2008

Pausa

Aqui não há espelhos. As portas não têm trancas. As janelas só abrem até a metade. Todos os talheres e copos são descartáveis. É proibido permanecer com celular e computador. Neste momento, estou no banheiro do meu quarto, com meu laptop, conectada graças à tecnologia 3G.
Lá fora, na sala, tem várias pessoas conversando, assistindo televisão. Uma suicida, um dependente de drogas, alguns com transtorno bipolar, um esquizofrênico, outros simplesmente depressivos.

Eu me sinto perdida. Às vezes me confundo se estou aqui desde ontem, ou desde antes de ontem ou se sempre estive. Na verdade não importa. Foram dias meio perdidos; dias que na minha memória se apagaram, se perderam.

Não sei se fez sol, se fez frio, se choveu. Neste momento percebo que chove. Mas nas horas anteriores não faço a menor idéia do que acontecia lá fora.

Se essa passagem por aqui vai fazer diferença eu não sei. É como se eu tivesse apertado o botão de pausa. Não faço idéia da próxima cena. E isso me dá medo.

14 comentários:

Cadu Oliveira disse...

Parabéns pelo blog!


O nome me chamou atenção. Mas o achei pouco venenoso. Ainda bem.

Sobrou sabedoria na citação do Nietzche.

Enfim, foi um prazer enorme conhecer o blog. Passarei por aqui.

Grande abraço.
Paz.

Carol Rocha disse...

Oi Cadu! Obrigada!
O nome do blog é o mesmo de um livro que compila poesias. O propósito do blog é o mesmo do livro: misturar várias idéias.
O veneno é para tirar a monotonia. rs

beijo!

Cadu Oliveira disse...

Já li esse livro!
Ótimo por sinal. Tem um subtítulo que diz sobre o tédio né? Acho que é "Melhores poemas e canções contra o tédio".

Um bom lançamento da Objetiva.

Enfim, lhe convido a conhecer o citosfera, já que é chegada à esse vício de literatura, poesia e afins.

Passe lá e, se gostar, colabora enviando citações que lhe toquem.

Um grande abraço.
citosfera.blogspot.com

Carol Rocha disse...

+ Cadu: já add. Passo por lá novamente. beijo!

james emanuel disse...

Cara:

Palavra de quem conhece o outro lado: o espírito é esse aqui mesmo, passar para o lado de lá por desespero é bobagem...

Sugiro meditação: quando conseguimos parar de pensar geralmente a luz aparece sozinha...

Um abraço demorado.

Carol Rocha disse...

+ James: como assim "conhece o outro lado?"
Não penso em nenhuma bobagem não... só penso em desistir por aqui mesmo. rs

james emanuel disse...

Cara:

Como eu conheço o outro lado é papo pra dez chopes.

Outro aspecto importante é o tal do inferno astral (período que antecede o aniversário), nele ocorrem muitos suicídios e os astrologos atribuem a impressão de que estamos sozinhos, abandonados, sem ver que isso passa, é só uma fase onde isso fica mais radical.

Se e quando estiver com vontade de conversar me use:
james.ntg@gmail.com

Beijo.

Emerson Souza disse...

Carol,
Como o pessoal ja falou do nome do blog, da citação do Nietzche e do que seria esse "passar para o lado de lá ou desistir por aqui mesmo", eu me limito a comentar:
- Lugar agradavel esse aqui, einh?!
Bjus.

Emerson Souza disse...

Que bom que se encontrou no texto...espero que volte mais vezes...

Carol Rocha disse...

+ Emerson: já voltei. rs

Emerson Souza disse...

Rsrsrs. Então escreva um texto mostrando onde vc esta agora?!

Carol Rocha disse...

+ Emerson: na cama. Deitada, com o laptop no colo, televisão ligada num telejornal qualquer. Basta? rs

Rê Ruffato disse...

Oi Carol!
Posso imaginar como se sentiu.
Mas você é amiga das palavras e consegue traduzir sentimentos em letrinhas, penso que isso é uma dádiva, benção, consolo, dom. Você sabe que a dor rende nas mentes criativas, então meu desejo é que viva da menos pior forma possível essas "baixas" e aproveite-as para criar textos como este.
Beijos, pupila...

Carol Rocha disse...

+ Rê: pois é... acontece, né? Mas ó, já estou melhor e na ativa. Fechei uma revista semana passada, mas as edições são trimestrais, ou seja, estou parada. Se souber de algo, a pupila agradece!! rs
beijo!