quarta-feira, 6 de maio de 2009

Terapia de salão

É engraçado como a maioria das mulheres costuma externar a fase de "mudança interior" através do cabelo. No filme "Divã", por exemplo, a hilária Lilia Cabral, em momento esfuziante, implora pro cabeleireiro: "repica! repica! repica!". E é assim mesmo. Ou melhor: somos assim.

Mulheres têm apego ao cabelo. E quando queremos nos livrar de algo, geralmente a primeira coisa que fazemos é correr para o salão, como se a tesoura pudesse cortar mais que o simples cabelo.

Taí o resultado. A história desse corte é longa...


Além de repórter, servi de "modelo" para uma pauta sobre visagismo. Confesso que achava essa técnica uma bobagem a mais no mundo fashion, mas o negócio é bem mais profundo. Passei por uma verdadeira consultoria de personalidade e de objetivos até chegar nesse resultado. Obra de André Mateus, da Cabelaria.
Meu terapeuta que se cuide. Corre o risco de perder a cliente.

8 comentários:

Belisa Figueiró disse...

Gostei do teu cabelo novo! Sou adepta do "repica" desde que inventaram essa maravilha, lá no final do século passado. Melhor coisa para tirar o volume sem aquelas pomadas horríveis que deixam oleoso. Sucesso com o novo looking, dear!

james emanuel disse...

Pena que vc não curte elogio...gata.

*

Meu universo particular disse...

Tbm adoro um "repica"....
Cada vez mais com cara de jornalista....rsrs..
Eu serei uma exceção à regra...hahaha

Mora disse...

Estou impressionado, Carol!
É tudo o que eu consigo dizer depois de retomar a leitura do seu blog...
Beijo.
Mora

Carol Rocha disse...

+ Belisa, James e Gabi: brigadaaa! Adorei tomar banho hoje e não precisar me preocupar com o secador. Uhu!

+ Mora: não entendi... impressionado com o que? rs

Mora disse...

Quer que eu desenhe, Carol!? rs
Impressionado pelo fato de você demonstrar estar mais confiante, motivada, determinada e, claro, mais linda... Ou seja, uma mulher admirável.
Beijo

Carol Rocha disse...

Sabe, Má, é que às vezes esqueço que faz pouco tempo que passei aquela fase down. Mas para quem acompanhou do lado de fora ainda está com a memória fresca. rs
Falta aquela cerveja ainda, né? Beijo!

Mora disse...

Pois é, Carol.
Nem foi minha intenção te fazer lembrar daquela fase, me desculpe... Mesmo porque quando te conheci você já era uma garota confiante, motivada, determinada e, claro, linda... Então, para mim, sempre valerá, em se tratando de você, a primeira impressão... Ou seja, será sempre de admiração.
É, concordo, falta a cerveja... rs
Beijo