quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Para refletir

"No meio desse mundo tão pasteurizado, onde todo mundo quer ficar igual, eu busco o que me diferencia. Quem sou eu nesse mundo? Quando eu cheguei na Playboy para fazer as fotos*, avisei que tinha muita estria. Tenho mais estria que celulite. Uma pessoa virou pra mim e disse, friamente, que capa de Playboy não tem estria, nem celulite, nem barriga. Em uma das minhas fotos eu cheguei a pedir para deixarem a marca da minha barriga, mas não teve jeito. Podem reparar: as barrigas da Playboy são todas iguais."


Mel Lisboa, hoje, no programa Happy Hour, do canal GNT, sobre o tema "lipoaspiração".


Apenas para refletirmos...

*Mel posou em agosto de 2004.

3 comentários:

james emanuel disse...

Refletindo...


Para ser capa da Playboy não precisa de lipoaspiração, o photoshop resolve.

Ora, se você pode ser capa da Playboy sem cirurgia, relaxa que os homens é que não vão reparar nesses detalhes se você tirar a roupa para eles.

"capa de Playboy não tem estria, nem celulite, nem barriga", mulher tem.

*

Cris disse...

Eu concordo discordando.

Se ela realmente quisesse "fazer a diferença" (expressãozinha tão banalizada nos dias de hoje) ela nem fotografava para a Playboy. Quando ela fechou contrato sabia que a revista trabalha assim, porque essa coisa do Photoshop TODO MUNDO já tá careca de saber, não precisamos que a Mel Lisboa nos esclareça.

Acho que ela quis mesmo "fazer média" ou "pagar de inteligente". Ela fez igual a Fernanda Young, que ao pousar para a revista criticou as fotos da ex-BBB Priscila e disse que só fotografaria para "fazer a diferença" na revista, que beirava o mau gosto. Agora, cá entre nós: que diferença ela PENSA que fez (porque só na cabeça dela mesmo pra achar que fez diferente)? A revista foi para as bancas do mesmo jeito que as da Priscila, e com o mesmo intuito que as da ex-BBB: vender (muito) e divertir (à beça) os marmanjos. Creio que a diferença que ela fez, talvez, foi a de vender menos que a ex-Big Brother, porque, convenhamos, os homens brasileiros preferem a nudez da Priscila à da Fernanda Young (e nem sei se só os brasileiros, creio que homem é homem em qualquer lugar do planeta). E isso é a Playboy, minha gente, não tem essa de "conteúdo inteligente" ou "nu artístico". Desde quando fio dental ou pousar de quatro para a câmera é nu artístico? Alguém avisa essas famosas, por favor!

Carol Rocha disse...

Oi, Cris.
Obrigada por interagir.
Mas a questão aqui não é posar ou não para a Playboy. Eu estava querendo discutir o quanto a gente busca ser linda e perfeita, nos baseando nessas revistas com mulheres lindas na capa, quando na verdade é tudo mentira. Os corpos são todos manipulados.
A ideia aqui era refletir sobre isso...
A Mel Lisboa estava bem bonita na revista, no entanto, ela admite que aquela não era ela na vida real.
Vamos incentivar as mulheres a se sentirem bem por serem reais.